Vampire the Masquerade: Bloodlines

Apesar de ultimamente estar sem tempo para jogar, me deu saudades de um jogo que joguei muito e nunca consegui terminar devido aos bugs infinitos.

Joguei com todos os clãs e travei sempre na mesma parte, o que foi bem triste. Será que mais alguém também passou por isso??

 

 

Vampire®: The Masquerade – Bloodlines é um RPG eletrônico desenvolvido pela Troika Games® e produzido pela Activision®, que pode ser jogado tanto em modo de primeira-pessoa quanto em terceira-pessoa. No caso, a primeira é mais utilizada na hora de explorar os ambientes e nos combates com as armas de fogo, enquanto que a visão em terceira pessoa é obrigatória nos combates corpo-a-corpo ou com armas brancas. É baseado no RPG de mesa Vampiro – a Máscara®, da editora White Wolf®. Bloodlines utiliza a tecnologia gráfica Source engine®, a mesma utilizada em Half-Life 2® (produzido pela Valve©).

O jogo permite que o jogador selecione um dentre sete clãs de vampiros, com diferentes vantagens e desvantagens. O jogo foi lançado em 2004 pela distribuidora Activision® em parceria com a Electronic Arts, e foi desenvolvido pela Troika games®, empresa que faliu pouco tempo depois. À época de seu lançamento houve um polêmico atraso em virtude da engine (Valve Sourcetm) utilizada, pois como o jogo se baseava na engine de Half Life 2®, que ainda não havia sido lançado, teve que esperar primeiro o lançamento de Half Life 2® para só então chegar às lojas.

Apesar do enredo bem desenvolvido, muitos pontos foram criticados no jogo, entre eles problemas de programação, excesso de bugs e gráficos pesados, pois se comparado ao Half Life 2®, os gráficos de VTMB são mais pesados e menos bonitos. Na época, para rodar o jogo era necessário uma placa de última geração, caríssima, o que afastou muitos jogadores do título.

Bloodlines é o segundo jogo da série (O primeiro foi Vampire® The Masquerade Redemptiontm) e adota um estilo totalmente diferente de seu predecessor, apesar de ambos serem RPGs. Um ponto positivo é a inserção e ambientação do personagem que mescla RPG, tiro em primeira pessoa e ação, com diversas missões, detalhes e personagens singulares, em um mundo sombrio, onde humanos são manipulados pelos seres da escuridão, e onde vampiros, zumbis e lobisomens não são coisas de cinema.

O jogo começa com a criação do personagem através da seleção de um dos sete clãs de vampiros da Camarilla disponíveis no jogo; a escolha do sexo do personagem, seu nome, e a escolha de suas características físicas, mentais e sociais; além de disciplinas; feita através da distribuição de pontos. Detalhe que as disciplinas tem características bem diferentes das que aparecem no jogo de mesa e sofreram várias adaptações  e restrições. Depois de criado o personagem, o jogo começa com um filme introdutório mostrando o personagem sendo “abraçado”.

Pouco depois da transformação, contudo, tanto o personagem do jogador quanto seu senhor são capturados por outros vampiros, que servem à Camarilla, organização que controla as leis vampíricas. Colocados diante do Príncipe dos vampiros de Los Angeles, o sire e sua criança são condenados à morte, já que criar um vampiro sem a autorização do Príncipe é um crime capital. O sire é executado por decapitação, mas a criança (o personagem do jogador) é poupada quando o líder dos Anarquistas (organização de vampiros que se opõe à Camarilla), Nines Rodriguez se ergue em meio aos espectadores e protesta contra a execução. Acreditando ser sábio mostrar benevolência e preservar a trégua entre os dois grupos, o Príncipe LaCroix poupa a vida do jogador, que pode então começar sua “vida” como vampiro, explorando as paisagens noturnas de Los Angeles.

 

Se alguém souber como sair do bug me ensina, pois sei que tenho o save do jogo guardado em algum lugar!!

 

 

 

Share

Comments HDM

Comentários

Gaby Vieira

Fotografia é minha profissão e minha paixão, para qualquer lugar que eu vá minha câmera sempre vai comigo. Amante do bom e velho rock 'n' roll e uma cerveja gelada na praça da esquina com as amigos e papos aleatórios, também sou viciada em filmes e seriados. E já fui a tia da merenda por quase 2 anos em uma escola. Experiência na qual nunca mais quero passar...