Sozinha por [falta de] opção…

Em um mundo onde todos procuram “alguém que me tire daqui” ninguém realmente está disposto a “sair daqui”.

E esta é apenas uma das muitas frases batidas no ctrl+c+ctrl+v de sites e app de “relacionamentos”.

Parece que hoje em dia todo mundo está a procura da sua cara metade; são inúmeros os cadastros em sites de relacionamentos, mas porque existem tantas pessoas interessantes e com interesses em comum sozinhas por aí?

Esses dias dentre minhas muitas leituras diárias, me deparei com a seguinte frase: “ Ninguém está solteiro por opção, e sim por falta de… 

Não concordo, pois tenho muitas amigas que estão sozinhas sim, porque querem sim e assim estão bem, afinal antes só do que mal acompanhada, mas acredito que por mais que o mar esteja pra peixe, parece que nenhum está a fim de fisgar a isca.

Sinto que as pessoas estão cada vez mais perdendo a habilidade de se relacionarem no que eu gosto de dizer, face to face. Hoje em dia o que eu percebo pelos grupos da vida é que existem três tipos de pessoas, as que querem apenas sexo fácil, as que querem apenas ter o próprio ego elevado e uma grande minoria que se diz procurar um relacionamento em si. Apesar de a maioria dizer querer encontrar o seu cobertor de orelha, é difícil se aquietar quando se tem uma lista infinita a sua disposição, bastando apenas um clicar de botão. As vezes me sinto em um grande açougue, onde todas as carnes estão penduradas na vitrine, esperando que alguém as “escolha”.

Mulheres exibindo seus voluptuosos decotes, homens se gabando de seus bíceps e barriga tanquinho, assim como no açougue, são os pedaços de carne mais bonitos que vão embora primeiro. Porém o pedaço mais bonito nem sempre é o mais gostoso.

Parece que tudo se transformou uma enorme concorrência para ver quem recebe mais likes e quem coleciona mais matches. E quando por um milagre divino você consegue que a pessoa converse com você, é necessário fazer um esforço tremendo para conseguir manter a pessoa entretida, senão você é apenas mais uma que entra para o Hall do “me achou gato, quando eu quiser eu pego”. E se relacionar com alguém não deve ser assim. Não é porque estou conversando com você que quero me casar na próxima semana, não é porque estamos desesperados em um site de relacionamento que não podemos ter uma conversa agradável, sair para um Happy Hour e descobrir que podemos ser apenas amigos… As pessoas esquecem que conhecer uma pessoa envolve realmente ter que sair com ela, mais de uma vez de preferência e realmente se darem a chance de se conhecerem. Dificilmente você será o sortudo a sair com a primeira pessoa que ver pela frente e ter o seu tão desejado “felizes para sempre”.

O grande problema desta nova geração que não consegue mais se desconectar nem para conhecer outras pessoas é exatamente esse. A oferta é enorme e estão todos ali a sua disposição, apenas esperando o match… E é difícil se dar ao “lusho” de conhecer uma pessoa, sendo que a cada minuto aparece alguém mais interessante. Sempre vai haver alguém mais interessante, isso é fato. Principalmente depois de um tempo que vocês já se conhecem. O encanto vai acabando, os assuntos vão ficando batidos e é aí que um novo alguém aparece e parece ser mais interessante, e quando você vai ver está dentro deste círculo vicioso, onde todo mundo é interessante a primeiro instante, mas tão rapidamente quanto já não é mais, e não vale a pena se dar ao trabalho de sair para se conhecerem pessoalmente.

E eu como boa apreciadora de um face to face e um ou dois copos de cerveja, desisti de ir ao açougue, pois o preço que se paga é alto demais para ser apenas mais uma. Prefiro ficar de fora, observando a lamentando o triste futuro que tanta facilidade vem nos trazendo a cada dia que passa.

Share

Comments HDM

Comentários

Gaby Vieira

Fotografia é minha profissão e minha paixão, para qualquer lugar que eu vá minha câmera sempre vai comigo. Amante do bom e velho rock 'n' roll e uma cerveja gelada na praça da esquina com as amigos e papos aleatórios, também sou viciada em filmes e seriados. E já fui a tia da merenda por quase 2 anos em uma escola. Experiência na qual nunca mais quero passar...