Não quero alguém que me complete

Quero primeiro, aprender a ser completa e não precisar de ninguém para “ser feliz”.

Quero aprender a ser auto suficiente na minha própria companhia e ser capaz de ir ao cinema sozinha, sem se importar com aqueles olhares de “coitadinha” que fizerem pra mim, por estar indo assistir um filme romântico.

Ir a uma balada, sozinha, dançar e beber e não sentir aquela necessidade de ficar com qualquer um que apareça só pra ter a sensação de que a noite não foi em vão.

Vou ter meus momentos de solidão? Meus momentos de querer ter alguém do meu lado? Sim, mas isso logo vai passar, pois aprendi que as vezes estar sozinha é a melhor companhia que poderia ter.

Por mais que tenhamos a mania de falar que encontramos alguém que “nos complete” na verdade eu quero mesmo é alguém que seja uma extensão daquilo que sou, que me transborde.

Quero alguém que seja uma extensão das minhas loucuras, que tope sair de última hora numa sexta-feira à noite, mesmo tendo trabalho para entregar no dia seguinte, que aceite sair do trabalho numa quarta-feira, enfrentar 2h de trânsito e metrô cheio só pra poder me encontrar no meio do caminho para tomar um sorvete e depois voltar pra casa. Alguém que vá pra balada mais “top” do momento e que volte com um sorriso largo no rosto, pois apesar de todas as pessoas mais lindas estarem lá, está voltando pra casa com quem realmente queria.

Quero alguém que curta beber junto com meus amigos na praça, mas que se sinta igualmente feliz quando eu decidir que será apenas nós dois, um colchão de solteiro no chão da sala e Netflix na TV.

Quero alguém que me aceite, assim como eu aprendi a me aceitar, e que ao invés de querer me completar, me ajude a enxergar nos momentos de tempestade, que sou melhor que isso, basta enxergar através das nuvens que ele vê, mas eu não.

Enfim, não quero alguém que me complete e sim alguém que me mostre que já sou completa, e que está ali para vivenciar junto comigo os melhores momentos da vida.

Share

Comments HDM

Comentários

Gaby Vieira

Fotografia é minha profissão e minha paixão, para qualquer lugar que eu vá minha câmera sempre vai comigo. Amante do bom e velho rock 'n' roll e uma cerveja gelada na praça da esquina com as amigos e papos aleatórios, também sou viciada em filmes e seriados. E já fui a tia da merenda por quase 2 anos em uma escola. Experiência na qual nunca mais quero passar...