Entenda a Guerra Civil na Síria

O mundo ligou o sinal amarelo na terça feira(4) Bashar al-Assad usou armas químicas contra os rebeldes com vínculos com a Al-Qaeda. Já o sinal vermelho foi ligado quinta feira (6) quando o presidente Donald Trump ordenou que mísseis Tomahawk fossem lançados como represália.

Antes de se enfiar no seu bunker e estocar comida, entendsa como esse conflito começou.

A Síria é um país árabe localizado no Oriente Médio que por sua vez fica na Ásia. Possui uma grande população, a grande parte é de muçulmanos sendo que uma pequena porcentagem são de cristãos. O país que conseguiu sua independência em 1946 como uma república parlamentar e que é rico culturalmente por ter sido o império de algumas civilizações na antiguidade, hoje não passar por uma situação estável.

Desde 2011 a população da Síria enfrenta uma guerra civil contra as forças do presidente Bashar al-Assad. As ondas de protestos que varrem o país reivindicam a saído do presidente Assad do poder devido a promessas não cumpridas, porém o mesmo não cedeu. O combate entre as pessoas e a tropa síria segue violento e mais de 100 mil pessoas já morreram.

Países como os Estados Unidos e seus aliados (França e Grã-Bretanha) e Turquia tomaram a frente para interver que haja mais mortes no país, porém a Síria conta com o apoio da Rússia que já até vendeu mais armas para eles.

Confira o infográfico do conflito e entenda o motivo de tanta preocupação por parte da ONU.

Na última terça feira(4), o governo do ditador Bashar Al-Assad matou 86 pessoas, incluindo 30 crianças, na cidade de Khan Sheikhoun e reacendeu os ânimos entre os aliados do governo vigente e dos rebeldes. Rússia e Estados Unidos, respectivamente. Tanto a Organização Mundial da Saúde quanto a instituição de caridade médica Médicos Sem Fronteiras disseram que algumas das vítimas apresentavam sintomas consistentes de exposição a agentes que afetam o sistema nervoso. O ministro da Justiça da Turquia, Bekir Bozdag, disse que as necropsias realizadas nos corpos de três vítimas confirmaram que armas químicas foram usadas e que as forças de Assad foram as responsáveis pelo ataque. Ele não deu mais detalhes. Trinta e duas pessoas foram levadas para a Turquia para tratamento – três delas morreram. Em retaliação, os Estados Unidos lançaram 59 mísseis Tomahawk contra uma base aérea na Síriana noite desta quinta-feira (6), O ataque é a primeira ação direta dos EUA contra Assad. Trata-se de uma mudança significativa na ação americana na região, pois até então os EUA apenas vinham atacando o Estado Islâmico.Os mísseis atingiram a base de Al Shayrat, perto de Homs, por volta das 21h40 (hora de Brasília), 4h40 na hora local da Síria. O porta-voz do Pentágono, Jeff Davis, disse que os mísseis foram lançados dos destróieres USS Porter e USS Ross contra “aeronaves, abrigos de aviões, áreas de armazenamento de combustível, logística e munição, sistema de defesa aérea e radares”.

O Observatório Sírio informou que a base síria bombardeada pelos Estados Unidos foi “quase” totalmente destruída.

Depois da tragédia com armas químicas, Trump e Putin inauguram uma nova e belicosa era no cenário político internacional. Agora o mundo teme o pior, teremos uma semana bem tensa pela frente e alguns especiliastas já montam um cenário de "guerra fria 2".

 

Share

Comments HDM

Comentários

Andre Sousa

André Sousa, Cearense, 31 anos, pseudo intelectual de rede social, inteligentemente gaiato e consumidor moderado de drogas lícitas.